Inscreva-se


UNAERP

Nossa História


A UNAERP – Universidade de Ribeirão Preto foi a primeira instituição de ensino superior da região de Ribeirão Preto. Fundada em 1º. de junho de 1924 como Sociedade Escola de Pharmácia e Odontologia de Ribeirão Preto, por um grupo de idealistas profissionais de saúde, intelectuais e educadores, desde sua implantação tinha como objetivo promover o desenvolvimento social, educacional e cultural da então rica capital do café, hoje principal polo sucroalcooleiro do País.Daquele visionário projeto inicial, a trajetória da UNAERP teve forte expansão a partir do final da década de 1950, quando o professor Electro Bonini (1913 – 2011), assumiu a administração.




Naquela década de 1920, a região de Ribeirão Preto já se apresentava como uma das mais prósperas do Estado de São Paulo. Eldorado do café atraia migrantes de várias regiões do país e imigrantes, principalmente italianos. Junto com a riqueza gerada pela produção cafeeira, a cidade crescia em todos os setores. Comércio, arte, cultura, educação e saúde se desenvolviam e as únicas escolas de Ribeirão - o conceituado Colégio Estadual e a providencial Escola Técnica de Contabilidade - não davam conta de abarcar todos os filhos da cidade que sonhavam expandir seus horizontes. Era necessário brotar na ex-província de São Sebastião, escolas de nível superior que pudessem formar no interior do estado os mais capacitados profissionais, gerando uma elite acadêmica nativa. Naquele contexto, foi fundada a instituição que, em 1928, com um novo estatuto passou a ser a AERP - Associação de Ensino de Ribeirão Preto, mantenedora da UNAERP - Campus Ribeirão e Campus Guarujá. Daquele visionário projeto inicial, consolidou-se uma instituição com forte tradição acadêmica e uma das mais importantes e conceituadas universidades brasileiras.




Em 1959, o professor Electro Bonini assumiu a administração da Associação de Ensino e implementou avanços e novos cursos. Como a Faculdade de Direito “Laudo de Camargo”, criada em 1961 e os cursos de Serviço Social, Química Industrial e Administração de Empresas, implantados pouco depois. Nos anos 70, a AERP oferecia também os cursos de Comunicação Social, Educação Física, Engenharia Química, Artes Plásticas, Educação Artística, Música e várias licenciaturas.



Com essa expansão, foi necessária a instalação de um campus universitário que abrigasse os cursos existentes e os novos projetos que previam o contínuo crescimento da instituição. O novo campus da UNAERP em Ribeirão Preto foi inaugurado em 1971, no bairro Ribeirânia, numa área de 120 mil metros quadrados. Junto com o campus, foram instalados mais cursos culminando na transformação do sistema de faculdades isoladas em sistema de federação de ensino. Era o embrião de uma universidade projetada para ser uma instituição enraizada em sua comunidade e sua cultura, plenamente identificada com o homem e os problemas de sua região, sem prescindir da dimensão de universalidade.

Reconhecida como Universidade em 1985, a UNAERP foi nomeada oficialmente como Universidade de Ribeirão Preto e passou a ter como reitora a professora Elmara Lucia de Oliveira Bonini, que já atuava na diretoria da Instituição e, ao lado do professor Electro, havia conduzido o processo de reconhecimento. Quando do reconhecimento, a Universidade já investia em pesquisas nas áreas de humanas, sociais, saúde, ambientais e biotecnológicas. Esses investimentos cresceram junto com a UNAERP que, a partir dos anos 90, passou a implantar novos cursos, fomentando paralelamente os projetos de pesquisas e de serviços à população. Nasceram aí, os cursos de Medicina, Enfermagem, Fonoaudiologia, Engenharia de Computação, Turismo, entre outros.

Integrada à comunidade regional, a UNAERP também mantém um intercâmbio constante com a sociedade em seu entorno, estendendo à população sua produção acadêmica. A Rede UNAERP de Serviços à Comunidade realiza mais de 500 mil atendimentos anuais à comunidade por meio de seus programas de extensão. Os eixos de extensão e prestação de serviços são possíveis graças ao investimento permanente em laboratórios de última geração, formação de docentes e pessoal técnico qualificado, sistemas de infraestrutura física. Em conjunto, tais ações viabilizam programas multidisciplinares de ensino, pesquisa e extensão.






Voltar